A importância da vacinação para o seu cão e doenças mais comuns

Sempre gostamos de ver nosso amiguinho canino feliz, saudável e cheio de energia, certo? Manter a saúde do seu peludo em dia exige cuidados e medidas preventivas. A vacinação é uma das ações mais efetivas para prevenção de doenças.

 

Vamos citar agora as principais vacinas para o seu cãozinho e a importância de cada uma:

 

pós pandemia hovet

 

  • V8 - A vacina V8, ou polivalente, protege o seu cãozinho de doenças consideradas graves, como a  cinomose, leptospirose, gripe canina, parainfluenza, parvovirose, coronavirose e hepatite infecciosa canina.

  • V10 - A vacina V10 é uma atualização da V8. Ela imuniza o seu cão das mesmas doenças, porém o protege de mais dois tipos de leptospirose.

  • Antirrábica - Essa vacina é extremamente importante, pois a raiva é uma doença viral e transmissível para os seres humanos. Ela fica alojada nas glândulas salivares dos animais, por isso, o principal sintoma é uma espuma que sai pela boca.

    Atualmente, ela é considerada como rara, justamente pelas campanhas de imunização feitas pelas cidades. No entanto, ainda é importante que o seu cãozinho seja protegido, pois ela é fatal em praticamente 100% dos casos.

  • Leishmaniose - A leishmaniose canina é uma doença causada por um parasita. Ela afeta o sistema imunológico do seu peludo e pode ser transmitida para os humanos por meio de um mosquito que pica o cão contaminado e depois a pessoa.

  • Gripe canina - A gripe canina, ou tosse dos canis, é mais comum no inverno, pois é causada por vírus que se dão bem em dias frios. Os sintomas são bem parecidos com o da gripe que nós temos, como tosse, espirro, secreção no nariz e até mesmo falta de apetit

  • Giárdia - A giárdia é uma infecção causa por um parasita que fica no intestino. O contágio acontece quando o cachorro come algo contaminado, normalmente, água ou contato com fezes contaminadas. Os sintomas são diarreia, perda  de peso, desidratação, dores abdominais e bastante vômito.

Doenças mais comuns no inverno

 

Da mesma forma que nós humanos, no inverno os animais também estão mais propensos a adquirirem doenças e a procura por clínicas veterinárias aumenta.

A transmissão da virose nos cães é mais rápida que nos gatos, por isso eles são os primeiros a chegarem nas clínicas.

Além das doenças respiratórias que são as mais comuns, os animais idosos com problemas osteoarticulares como artrose, calcificações na coluna ou hérnia de disco, passam a sentir mais dor quando expostos as baixas temperaturas.

As doenças mais comuns que podem afetar os cães no inverno são a Gripe Canina e a Cinomose.

Traqueobronquite, conhecida como Gripe Canina ou Tosse dos Canis, possui os seguintes sintomas:

  • Espirros
  • Falta de apetite
  • Tosse normalmente seca que pode evoluir para catarro.

A melhor forma de prevenção é a vacinação.
Como a doença é transmitida pelo contato, a vacinação é ainda mais importante para quem tem mais de um animal.

As infecções por vírus são mais brandas e normalmente não precisam de um tratamento específico. Porém, em alguns casos quando a infecção é causada por bactéria, principalmente a Bordetella, o quadro é mais grave e pode evoluir para pneumonia se não tratado corretamente.

Cinomose

Altamente contagiosa durante todo o ano, a cinomose é uma doença viral que pode deixar sequelas e até levar o animal à morte.
No inverno, porém, há um agravante que a torna ainda mais perigosa: com as baixas temperaturas, o vírus da cinomose sobrevive e se dispersa mais facilmente no ambiente.

Embora o risco seja alto entre os filhotes com até 1 ano, a doença pode se propagar entre cães de qualquer idade que não têm as vacinas em dia ou que estão com a imunidade baixa.

O perigo da cinomose é grande, já que ela é a doença que mais mata os cachorros em todo o mundo - apenas 15% dos que foram contaminados sobrevivem a esse mal.

A transmissão pode ocorrer por secreções oculares, nasais, orais e pelas fezes.

Mas, neste caso, o contágio pela cinomose vai além do compartilhamento dos itens ou pelo espirro do animal, já que até seu tutor pode estar com o vírus em suas roupas e calçados e fazer com que ele chegue ao pet.

         Não deixe de vacinar o seu cãozinho
       Agende um horário conosco.

Botao agendamento

 

Também pode interessar